sábado, 1 de outubro de 2022

BREVES (110)

ARTUR CORREIA – UM MESTRE DO HUMOR

Inaugurou no passado dia 17 de Setembro a exposição de banda desenhada "Artur Correia - Um Mestre do Humor", organizada pelo Clube Português de Banda Desenhada com o apoio da Câmara Municipal da Amadora e a colaboração da Bedeteca de Beja.
Desaparecido em 2018, Artur Correia, co-criador de obras como "O País dos Cágados", "Os Descobrimentos a Passo de Cágado", "História Alegre de Portugal" ou "Esta Palavra Concelho", deixou vasta e importante obra no campo da BD e do Cinema de Animação, tendo o seu talento sido reconhecido e homenageado, por diversas vezes, numa e noutra áreas. 
Esta exposição é mais um exemplo disso e ficará patente ao público até ao dia 12 de Novembro, podendo ser visitada todos os sábados na sede do Clube, na Avenida do Brasil n.º 52, Amadora (antiga sede do CNBDI), entre as 15h00 e as 18h00.


ANIVERSÁRIOS EM OUTUBRO

Dia 02 - Joe Sacco (maltês)
Dia 12 - Siro (francês)
Dia 15 - Derradé
Dia 16 - José Carlos Fernandes
Dia 17 - Augusto Trigo
Dia 19 - David Rubin (espanhol)
Dia 21 - Rui Pimentel
Dia 22 - Yuri Jigunov (russo)
Dia 26 - Susa Monteiro
Dia 28 - Denis Béchu (francês)
CR/LB

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

NOVIDADES EDITORIAIS (241)

20.000 LÉGUAS SUBMARINAS - ​Edição RTP /Levoir. Autores, segundo Jules Verne: argumento de Fabrizio Lo Bianco e arte de Francesco Lo Storto. Tradução de Sandra Alvarez.
Da vasta e maravilhosa obra de Jules Verne, três romances se destacam em popularidade paralela: "20.000 Léguas Submarinas", "A Volta ao Mundo em 80 Dias" e "Viagem ao Centro da Terra", todos eles várias vezes adaptados ao Cinema, Televisão e Banda Desenhada.
Será, porém, "20.000 Léguas Submarinas" que, pelo seu todo de aventura, mistérios e apostas científicas, nos toca em absoluto pelas situações que serão vividas pelo Professor Pierre Aronax, o seu dedicado serviçal Conseil e o bravo arpoador quebequense Ned Land e, claro, o enigmático Comandante Nemo que tudo programa do seu submarino "Nautilus"... 
Sob oceanos e mares, tanta maravilha nos é narrada pelo talento um tanto visionário de Jules Verne.


HERR HIMMEL - ​Edição Asa /jornal Público. Autor: Jean Yves Delitte. Tradução de Pedro Vidal.
"Herr Himmel" é o segundo tomo da imperdível série "U-Boot", submarino da Alemanha nazi que em fuga para a Argentina se vai atolar algures no brasileiro rio Amazonas.
Esta narrativa saltita por diversos anos, de 1945, 1956 e 2059...
Hitlerianos sobreviventes e investigadores de tempos posteriores, andam numa azáfama de furores diversos. E morrem bastantes intervenientes, berm mais que um vulgar "sheltox" abateria moscas e mosquitos...



ALGURES ENTRE AS SOMBRAS - ​Edição Ala dos Livros. Autores: Juan Diaz Canales (texto) e Juanjo Guarnido (arte). Tradução de Paula Caetano e Miguel Sacadura.
E registamos apenas (pois é quanto basta e entusiasma) o facto de voltarmos a apreciar a arte de Juanjo Guarnido e esse admirável personagem que é o "Blacksad".
Parabéns à tão atenta editora!



O CADERNO DA TANGERINA - ​Edição Escorpião Azul. Autora: Rita Alfaiate. Será o terceiro tomo da série "Tangerina", imaginada e criada pelas jovem lisboeta Rita Alfaiate.
Aspectos interessantes pelos sonhos de uma criança, que agradarão a leitores de todas as idades.
LB

domingo, 25 de setembro de 2022

HERÓIS INESQUECÍVEIS (82) - GATO FÉLIX

Este admirável gato preto, divertido, generoso e corajoso, é talvez o mais antigo e popular felino tanto no Cinema de Animação como na Banda Desenhada. 
Pat Sullivan e Otto Messmer
Sempre muito acarinhado, teve altos e baixos na sua aplaudida carreira.
Surgiu em 1919 e a sua criação é ainda hoje discutida, pois há quem garanta que o responsável criador foi Pat Sullivan (1885-1933), um australiano emigrado nos Estados Unidos, ou Otto Messmer (1892-1983), que era norte-americano.
O certo é que Félix surgiu primeiro no Cinema, nos tempos ainda do mudo, nos estúdios de Sullivan, onde Messmer era assistente.
Primeira aparição do Gato Félix (aqui chamado Master Tom)
no filme "Feline Follies" (1919), realizado por Pat Sullivan

Foi Messmer quem se atreveu às tiras para jornais, em 1923. Bem mais tarde, em 1953, foi Joe Oriolo quem segurou o personagem de Félix em diversas vertentes.
Félix também deu origem a duas longa-metragens para o Cinema e uma série de animação para a TV.
Episódio de "Felix the Cat", por Joe Oriolo

Entretanto, para além dos seus constantes adversários, este gato tem bons companheiros, como os sobrinhos Inky, Dinky e Winky, a namorada Kitty e o ratinho Skiddoo.
Sempre, ao fim e ao cabo, no topo da popularidade de heróis-gatos, que são imensos, como por exemplo "O Gato" do belga Gelluck, o gato "Fritz", "Garfield", "Poussy", "Nanar "(o gato de Ric Hochet), "Taíque" (o gato sem nome indicado na série "Tintin", que será certamente inspirado no gato siamês autêntico e homónimo que pertenceu a Hergé), "Blacksad" e por aí adiante... não esquecendo a longa-metragem "Os Aristogatos" produzida pela Disney.
Como mera curiosidade, indico alguns bedéfilos portugueses que foram e/ou são, amantes de gatos: Carlos Alberto Santos, José de Matos-Cruz, Jorge Magalhães, Catherine Labey, Luiz Beira, Santos Costa, Carlos Gonçalves, Dani Almeida, Mara Mendes, Carlos Rico, Baptista Mendes, Jartur Mamede, Helder Carrilho, Paulo Monteiro, Rafael Sales, Carlos Almeida, Susa Monteiro...
Ai daqueles que não amam e estimam os gatos! É gente frustrada e mal construída. Que alguém lhes apresente um gato!
Viva "Félix"! Vivam os gatos!
LB

terça-feira, 20 de setembro de 2022

ILUSTRAÇÕES E HISTÓRIAS EM QUADRINHOS por José Ruy (16)

Na sequência das ilustrações que tenho prontas, para livros que ainda não foram editados, mostro agora as que fiz para uns textos do meu saudoso amigo José Antunes.
A sua esposa, Margarida Antunes, selecionou uma série de textos e mostrou interesse que eu os ilustrasse, o que muito me honrou. Os textos são de muito interesse e procurei fazer o meu melhor, com as minhas pobres possibilidades. Mostro-as, portanto, com permissão da Margarida.
São histórias de portugueses, que em todas as épocas se distinguiram em todo o mundo, no melhor ou no pior. Sugeri fazer títulos desenhados para cada história, de modo a ficar mais apelativo.





As histórias não são longas, por isso cada texto não comporta muitas ilustrações.




Também há portugueses que se celebrizaram pela pior maneira, como Benito de Soto Aboal, conhecido pelo «Black Joke, que José Antunes destaca nesta sua coletânea.
Este pirata cometeu muitas atrocidades nos mares por onde navegou, atacando navios indefesos.


No próximo artigo continuarei a mostrar algumas das ilustrações que fiz para este futuro livro de autoria de José Antunes.

terça-feira, 13 de setembro de 2022

HERÓIS INESQUECÍVEIS (81) - JHEN

Este herói-BD nasceu em 1978, com argumento de Jacques Martin e arte de Jean Pleyers. Inicialmente, chamava-se Xan Larc, publicado pelas edições Lombard com dois tomos: "L'Or et la Mort" (1984) e "Jehanne de France" (1985).
Cedo passou para a editora Casterman, agora como Jhen Roque, nos quais estão as reedições dos dois primeiros tomos, mas agora com o novo e definitivo nome.
Herói de ficção, destemido e generoso, é arquitecto de profissão. Mesmo assim, contracena com personagens reais da História: Joana d'Arc (1412-1431), Carlos VII de França (1403-1461) e com o tão controverso condestável Gilles de Rais (1404-1440). Este último, de quem Jhen era amigo pessoal, tinha tanto de valente militar como um lado negro e
quase incontrolável: era pedófilo, quase sempre em relação a rapazes.
Raptava crianças que eram abusadas por ele e depois mortas e queimadas.
Jhen, tantas vezes tentou trazê-lo para os bons caminhos, mas a tara de Rais era indomável!... Consta que as suas vítimas terão atingido as centenas de casos. 
Um clérigo dominicano denunciou-o e Gilles foi preso e condenado à morte, mesmo ante os esforços do seu amigo Jhen, que bem tentou salvá-lo da execução, mas em vão...
Para além de Jean Pleyers, a série tem alguns tomos que foram desenhados por Thierry Cayman e por Paul Teng.
Admirável série e magnifico retrato da época e da região, não tem, até agora, algum álbum em português! Que pena!...
Talvez um dia... Sabe-se lá!
LB













Jacques Martin e Jean Pleyers, os criadores de Jhen

sábado, 3 de setembro de 2022

BREVES (109)

"LITERATURA E BD" AINDA EM VISEU...
Conforme já noticiámos, a exposição “José Ruy - Literatura e Banda Desenhada” vai continuar patente em Viseu até ao próximo dia 21 de Setembro, no espaço da Feira de São Mateus.
Depois, como sempre, será o início da digressão por escolas e bibliotecas que demonstrem vontade de acolher esta mostra (bastando, para isso, contactar o Gicav, entidade que gere o agendamento da mostra).
Entretanto, Viseu e Moura (parceiros e co-organizadores, há muitos anos, de projectos na área da BD) já estabeleceram os primeiros contactos no sentido de acertar agulhas para as próximas iniciativas, a acontecer em 2023. 
A seu tempo daremos conta do que se propõem realizar... 


BIENAL DE HUMOR INAUGURA HOJE!
A Bienal de Humor Luiz Oliveira Guimarães é uma iniciativa promovida pela Humorgrafe (leia-se Osvaldo de Sousa, director artístico da Bienal), Casa Museu Família Oliveira Guimarães, Câmara de Penela e Freguesia do Espinhal, tendo ainda o alto patrocínio do Presidente da República(!). 
Trata-se da oitava edição do certame que tem um programa bastante aliciante este ano.
A inauguração ocorre hoje, às 15h00, no edifício dos Paços do Concelho, onde ficará patente a exposição de trabalhos do Concurso de Caricaturas.
Depois, e sucessivamente, de hora a hora, serão inauguradas em diferentes espaços outras três exposições: "O Homem e o Planeta", "Os Animais e o Planeta" e os Premiados da VIII Bienal.
Pelas 18h30, haverá uma Festa da Caricatura no Jardim das Gerações. 
Mais tarde, o programa do primeiro dia fecha com um concerto pela Banda da Sociedade Filarmónica do Espinhal e a peça de Teatro "O Rinoceronte", de Eugène Ionescu, pela SUL - Associação Cultural e Artística.
Amanhã, domingo, a partir das 10h00, teremos mais Festa da Caricatura e de tarde, às 15h00, a tertúlia "Os Animais, o Homem e o Planeta". Às 17h00, a entrega de prémios e troféus aos diferentes vencedores do Concurso encerra o primeiro fim de semana. 
Dia 23 de Setembro teremos, ainda, a inauguração da exposição "O Animal Político", na Escola Infante D. Pedro.
A Bienal encerra no dia 25, às 18h30, com a actuação do Coral "Corelis".
Um programa recheado e aliciante, sem dúvida. Aqui deixamos o convite aos nossos leitores para uma visita a Penela/Espinhal, no Distrito de Coimbra. 


ANIVERSÁRIOS EM SETEMBRO
Dia 02 - Leonardo De Sá e Gerrit De Jager (holandês)
Dia 04 - Lucien De Gieter (belga)
Dia 05 - Stédo (belga)
Dia 06 - Ricardo Blanco
Dia 08 - Catherine Labey
Dia 09 - José Abrantes, Vicente Segrelles (espanhol) e Valentin Tánase (romeno)
Dia 13 - Luis Filipe Mendes (do GICAV)
Dia 14 - Puiu Manu (romeno)
Dia 24 - Mara Mendes
Dia 26 - Spiros Derveniotis (grego)
Dia 27 - Pol Leurs (luxemburguês) e Matthias Schultheiss (alemão)
CR/LB

domingo, 28 de agosto de 2022

CAPAS (31) - JOSÉ RUY

José Ruy
Actualmente, é o decano dos desenhistas portugueses, com uma carreira invejável e imparável.
José Ruy Matias Pinto, ou simplesmente José Ruy, nasceu na Amadora, onde reside, a 9 de Maio de 1930. Cursou em Lisboa na famosa Escola António Arroio.
Aos catorze anos, começou a publicar a sua BD em "O Papagaio", com "Os Cavaleiros do Vale Negro", "Homens do Mar", "A Bravura de Chico", Piratas do Ar", etc.
Não parou mais, seguindo-se uma marcante aposta em álbuns. Destes, alguns estão traduzidos em mirandês, cantonês, francês e inglês, sem esquecer a sua sinopse sobre "A História da Cruz Vermelha" em onze idiomas. Merecidamente, na sua Amadora natal, há uma escola e uma avenida com o seu nome.
​Tem exposto a sua BD, para além de Portugal, no Brasil, Roménia, Alemanha, França, China, Japão e Cabo Verde.
Foi homenageado em festas-BD em Lisboa, Sobreda, Amadora, Beja, Porto, Setubal, Moura, Viseu e ainda no Brasil e na Bulgária.
Está registado em algumas enciclopédias-BD, tanto nacionais como estrangeiras.
Abaixo se registam algumas (apenas algumas, pois elas são tantas!) das suas capas mais significativas.
LB