sábado, 24 de abril de 2021

TALENTOS DA NOSSA EUROPA (50) - SUAT YALAZ (Turquia)

Suat Yalaz (1932-1992)
A Turquia, que marca hoje o que sobrou do terrível Império Otomano, é um país bizarro, pois divide-se entre a Ásia (a maior extensão) e um relativamente pequeno território na Europa. 
O grande líder foi Mustafá Kemal Ataturk, que logo encetou a modernização do país, incluindo a adopção do alfabeto latino e a total liberdade de cultos religiosos. Hoje, a Turquia, é dirigida por um quase ditador megalómano, Recep Tayyip Erdogan, que tem levado o país a andar para trás...
No que toca à Banda Desenhada, tem imensos desenhistas, cartunistas e caricaturistas. Daqui, o grande e merecido destaque vai para Suat Yalaz, que nasceu a 1 de Janeiro de 1932 em Çiçekagi (na parte asiática) e faleceu em Istambul (na parte europeia) a 2 de Março de 1992.
Chegou a usar os pseudónimos Gi-Toro, Jimmy Toro e Walter Kinim.
Além de desenhista, também foi capista e cineasta.
Por um largo tempo da sua vida, dividiu-se entre Paris e Istambul. Estudou na Faculdade de Belas Artes de Istambul.
Preferencialmente, abordou temas históricos, mais ou menos medievais, mas não se esquivou ao humor e ao erotismo. "Satanika", "Lady Sex", "O Náufrago das Bermudas" ou "Futurella", são alguns títulos da sua obra erótica. 
Pranchas de "Futurella"

Pelo humor, salienta-se a sua paródia a "Tarzan" e "Bolizoros".
Cenas de uma paródia a "Tarzan"
Tira de "Bobizoros"

As suas obras mais marcantes são "Changor"...




"Kébir"...




"Ringo"...




"Karaoglan" (ex-"Kaan")....


...e "Sony".


Para o Cinema/TV, dirigiu e/ou adoptou a sua série-BD "Karaoglan".
Muito estimado e popular na sua Turquia, também foi bem apreciado em França, Bélgica, Suíça e Argélia. Em Portugal, nada consta...

LB

domingo, 18 de abril de 2021

NOVIDADES EDITORIAIS (216)

O BURLÃO NAS ÍNDIAS - ​Edição Ala dos Livros. Autores, segundo a obra de Don Francisco Gómez de Quevedo y Villegas: argumento do francês Alain Ayroles e arte do espanhol Juanjo Guarnido.
Encantador e divertido álbum que narra as doidas aventuras de um vigarista, um tal "Don Pablos de Segóvia".
Com altos e baixos, este nada recomendável "Don Pablos", deixa a Espanha e ruma à América do Sul em busca de melhor sorte, onde saltita da cordilheira dos Andes para a perigosa e quase impenetrável Amazónia, pois será aqui que se deve situar o fabuloso e lendário Eldorado...
Com mais de cem pranchas a arrastar-nos com entusiasmo para a sua leitura, o aplauso máximo vai para a arte de Juanjo Guarnido, bem conhecido entre nós pela popular série "Blacksad".
Aconselha-se vivamente a leitura de "O Burlão nas Índias".


UM TROVÃO NO CAMINHO - Edição Escorpião Azul. Autor: António Rocha.
Tudo indica, pelo menos assim interpretámos as suas palavras, que este é o primeiro álbum deste desenhista nascido em Coimbra.
Apostado na ficção-científica e no insólito, por vezes até no terror, o álbum reúne seis curtas narrativas, mais ou menos interligadas. São elas: "Um Trovão no Caminho", "O Pai Partiu", "Sobrevivente", "Solidão", "A Lei do Mais Forte" e "Bashir".
Solidão e ausências (sobretudo a do pai), são quase o fio condutor e de ligação das narrativas, temáticas quase raras na BD Portuguesa.
Felicita-se o autor e a editora.


VIRIATUS II - O segundo número do fanzine "Viriatus", coordenado por Carlos Almeida, do GICAV, já aí está para uma atenta leitura. Não tem periodicidade certa e é um destacável da revista trimestral "Anim'arte", neste caso, da #119 (Janeiro-Fevereiro-Março do presente ano). 
Na capa, reproduz a do #37 da revista "Jacto", com o Viriato desenhado por Victor Mesquita. Do seu conteúdo, destacam-se: cartunes referentes ao malfadado Covid-19, um breve obituário indicando desenhistas que nos deixaram em 2020, a indicação da obra do jovem Dani Almeida, a referência aos álbuns-novidades "O Heroísmo de uma Vitória" por José Ruy e "Zé do Telhado" por Eugénio Silva.
A ler e a coleccionar.
LB

sexta-feira, 9 de abril de 2021

CAPAS (19) - DINO ATTANASIO

Dino Attanasio
Dino Attanasio (aliás, Edoardo Attanasio) é um dos mais populares desenhistas italianos, bem notabilizado pelas suas série humorísticas. 
Nasceu em Milão, a 8 de Maio de 1925.
Já com uma certa notabilidade no seu país, foi residir para a Bélgica, onde colaborou para as revistas "Spirou" e "Tintin". Temporariamente, passou a colaborar apenas para a Holanda....
Também elaborou obras realistas e foi publicado, para além da Itália, Bélgica e Holanda, em Portugal e em Espanha. No nosso País, tem histórias suas em álbuns e também, publicadas no "Cavaleiro Andante", "Nau Catrineta" e no Boletim do Clube Português de Banda Desenhada.
Com seu filho Dino Alessandro Attanasio como guionista, adaptou o "Decameron" de Boccacio. Criou em curtas, algumas biografias, como por exemplo: Verdi, Eiffel, Rossini, E.P. Jacobs, Marconi, Kipling, etc.
Foi o primeiro desenhista a adaptar à Banda Desenhada aventuras de Bob Morane.
Aí vão algumas das suas capas.
LB