quarta-feira, 27 de agosto de 2014

HERÓIS INESQUECÍVEIS (30) - O FANTASMA


Surgido a 17 de Fevereiro de 1936, o Fantasma - The Phantom, no original - é considerado o primeiro herói da banda desenhada a usar máscara e uniforme (o Super-Homem só apareceria dois anos depois, em 1938).
É uma criação do argumentista Lee Falk (que também inventou Mandrake, outro personagem famoso) e do desenhador Ray Moore.
Lee Falk e Ray Moore
Ao longo do tempo, o Fantasma foi continuado por um grande leque de autores sendo o mais famoso de todos o desenhador Sy Barry.
O enredo começa quando o filho de um rico fidalgo, Kit Walker, assiste ao assassinato de seu pai por um bando de piratas que abalroam o navio onde viajam. Meio afogado, consegue dar à costa e é salvo por um nativo. Perante a caveira do pai, Kit Walker jura combater a pirataria e a ladroagem transformando-se, assim, no primeiro Fantasma. Para além dos seus inseparáveis companheiros Herói (o cavalo) e Diabo (um cão-lobo), conta como aliados na luta contra o crime com uma tribo de pigmeus, os Bandar, e a Patrulha da Selva (da qual é o Comandante Secreto).
A origem do Fantasma, por Lee Falk e Ray Moore

Por vezes o Fantasma veste uma gabardina, uns óculos pretos e um chapéu para combater o crime na cidade. É habitual, também, usar dois anéis: o da marca do bem (que o Fantasma utiliza para sinalizar as pessoas que quer proteger) e o da caveira (para marcar os maus). 
Duas páginas do "Mundo de Aventuras" (#846) onde se pode observar o Fantasma de gabardina e óculos,
bem como o anel da caveira com que castiga os malfeitores. 
As aventuras do Fantasma passam-se na Ilha de Bengala - uma ilha fictícia, com uma mescla de características africanas e indianas - onde vive na chamada Caverna da Caveira.
A Ilha de Bengala, com características africanas e indianas, como se comprova por esta imagem
onde tigres e leões aparecem lado a lado.
O Fantasma tornou-se um mito para os nativos de Bengala já que supostamente é imortal. Por essa razão, os Bandar tratam-no por Duende-que-Caminha. A realidade, no entanto, é mais simples: vinte gerações de Fantasmas precederam o Fantasma actual, sendo que apenas Guran, o chefe dos Bandar, tem conhecimento disso. 
Quando Lee Falk inventou o personagem imaginou-o com um fato verde (talvez para uma melhor camuflagem nas sombras da selva) mas o certo é que, por problemas gráficos com a impressão da primeira aventura, o uniforme saiu roxo! Lee Falk decidiu manter o roxo (inventou, até, uma história onde justificava a escolha desta cor para o uniforme do Fantasma) apesar de, em alguns países onde a série foi publicada, novas alterações terem dado origem a uniformes vermelhos, azuis ou castanhos! Em Portugal, o Fantasma aparece de uniforme roxo ou vermelho.
Capas das revistas n,ºs 1 do "Mundo de Aventuras" (V série) e do
"Especial Mundo de Aventuras", que comprovam a popularidade deste herói no nosso país

O Fantasma foi alvo de uma adaptação ao cinema, em 1996, com realização de Simon Wincer e com Billy Zane, Kristy Swanson e Catherine Zeta Jones nos principais papéis.
Já antes, nos anos 40, uma série televisiva popularizava o personagem.
Trailer do filme "O Fantasma", de 1996

Em 1986 foi produzida uma série de desenhos animados chamada "Defensores da Terra", onde apareciam Mandrake, Lotário, Flash Gordon e o Fantasma, entre outros personagens. A série foi também adaptada a banda desenhada em revista lançada pela Marvel.
Capa de um número de "Defenders of the Earth" ("Defensores da Terra").
Foram realizados, também, nos anos 90, trinta e cinco episódios de outra série de animação ("The Phantom 2040"), vagamente parecida com o Fantasma original, numa co-produção franco-americana.
O genérico da série "Phantom 2040"

Entre nós, foram publicados inúmeros episódios do Fantasma em revistas como "O Pirilau" (onde o personagem se estreou), "Mundo de Aventuras", "Selecções do MA", "Audácia", "Ciclone", "Jornal do Cuto", entre outras. Teve, também, direito, nos anos 80, a um álbum pela Editorial Futura e mais recentemente a um número da colecção "Os Clássicos da Banda Desenhada", lançada pelo "Correio da Manhã" em colaboração com a Panini e com coordenação da Devir.
É dos personagens norte-americanos de maior sucesso em todo o mundo, continuando ainda a ser publicado diariamente.
CR

Tom Tyler no papel de Fantasma (série televisiva dos anos 40)
Uma raridade para qualquer coleccionador: as aventuras de Mandrake e Fantasma (criações de Lee Falk)
gravadas num velho disco em vinil

Uma bela capa do "Mundo de Aventuras", da autoria de Carlos Alberto Santos.
O Fantasma foi um dos sete heróis incluídos no número especial do
"Mundo de Aventuras" (#1000)
Prancha dupla de "A Bruxa da Selva"
Prancha dupla de "A Teia Gigante"
"Almanaque do Mundo de Aventuras" com capa de Augusto Trigo

A colecção "Heróis Inesquecíveis" (à qual fomos, com a devida vénia, retirar o nome desta rubrica do BDBD)
obviamente não esqueceu o Fantasma.

Os dois heróis de Lee Falk foram recordados num mesmo número da colecção "Os Clássicos da Banda Desenhada"

2 comentários:

  1. Belo artigo sobre o Fantasma, mesmo a propósito, numa altura em que ainda se recorda o 65º aniversário do saudoso "Mundo de Aventuras". Fico sempre extasiado com a qualidade das imagens deste blogue e com a escolha criteriosa e variada da iconografia, como neste caso e em muitos outros.
    Saudações bedéfilas para a incansável equipa e continuação do bom trabalho. Os grandes clássicos precisam que se fale deles, para não os deixar cair no esquecimento (mesmo contra as opiniões soezes dos que acham que só o que é “moderno” deve estar na ribalta). Não é assim, Luiz Beira?

    Jorge Magalhães

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimo Amigo Jorge Magalhães:
      Obrigado pelas suas amáveis palavras que, vindas de um especialista nesta Arte, são sempre recebidas como um grande incentivo para continuarmos com este projecto.
      Os grandes clássicos devem SEMPRE ser relembrados, apesar de haver por aí muita gente que assim não pensa. Estão no seu direito, é certo, mas neste blogue temos a mania de fugir aos padrões convencionais... aliás, tal como acontece no seu "Gato Alfarrabista" (blogue que recomendamos vivamente a quem nunca o visitou).
      O Fantasma não poderia faltar nesta galeria de personagens inesquecíveis. Só quem nunca leu uma aventura deste herói é que poderá achar "fatela" (para usar uma expressão moderna...) a banda desenhada "clássica"...
      Enquanto pudermos, os grandes clássicos terão lugar assegurado no BDBD.
      Grande abraço
      Carlos Rico



      Eliminar