sexta-feira, 22 de março de 2019

AS HISTÓRIAS QUE RESIDEM NA GAVETA (8) por José Ruy

Caros leitores do BDBDBlogue, continuemos a mostrar a história «Os Templários» que se conserva na «gaveta», à espera de ser publicada. Como têm observado tenho-a toda esboçada e legendada, faltando só realizar os originais em formato maior para depois serem reduzidos pelo processo informático.
Essa fase considero ser a mais fácil, apesar das dificuldades que surgem sempre, pois o mais trabalhoso é a criação do argumento, a pesquisa, e essa sim, é sem dúvida a mais importante. Se pretendo fazer um trabalho sério, preciso de reunir documentação fidedigna e rigorosa de todas as épocas em que se passa a narrativa.
A consulta é feita nas bibliotecas ou no meu acervo pessoal, pois com os anos tenho acumulado muita documentação, e, de momento, pouco preciso de me deslocar para o efeito.
Como as fontes por vezes são livros pesados e volumosos, prefiro fazer pequenos apontamentos de detalhes que manuseio mais comodamente no meu estirador.
Criei uma placa giratória que se desloca a 15 centímetros sobre a prancheta, e assim posso ir consultando a documentação e depois deslocar a placa, sem atravancar o estirador.
Naturalmente que esta mostra é uma pequena parte do que preciso reunir para toda a história, é só um exemplo. São apontamentos informais, mas que contêm os detalhes precisos. Estribos, freios de cavalos, fundas, as pegas dos escudos, pontas de lança, coroas de reis, e até alguma parecensa, como a de Filipe, o Belo, o monarca que destruíu a Ordem dos Templários, com o intuito de lhes roubar os tesouros que nunca chegaram a ser encontrados. Para este «Belo», foi uma bela partida, pois saiu-lhe «o tiro pela culatra». Só ganhou o não ter de pagar a fortuna que lhes tinha pedido emprestado.
Uma das fontes mais credíveis é a «História do trajo de Rothotten» que para além de ser completa é bastante rigorosa.
No próximo artigo mostrarei mais uma história que se encontra pendente e as circunstâncias que a levaram a essa posição.

terça-feira, 19 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS (166)

L'ENFANCE D'UN GAULOIS - ​Edição Casterman. Autores, segundo "Alix", a ​série por excelência de mestre Jacques Martin: ​argumento de Marc Bourgne, traço de Laurent Libessart, cores de Florence Torta e um dossiê ​histórico por Franck Mathieu.
​Este tomo, o primeiro do díptico "Alix, Origines", ​relata ternamente as atitudes destemidas de Alix, enquanto criança e adolescente.
Alix, protegido por lobos, vai lutar pela sobrevivência ​da sua família e crescer mais depressa do que ele ​esperava…
​Uma obra que se lê com todo o prazer.


PORN STORY - ​Edição Glénat. Autor: Ralf König.
​Ora pois, cá o temos de novo, em edição ​francesa, o impagável, frontal e irreverente ​autor-bd alemão, Ralf König!
​É um caso e exemplo muito especial, digamos, ​até, de corajoso atrevimento.
E sempre divertido ​e a divertir-nos (e a obrigar-nos a pensar), diga-se em abono da verdade…
O nosso/vosso BDBD, em devido tempo e sob o tema "Talentos da Nossa Europa", a ele se referiu, em 25 de Março de 2017. Lembram-se? Senão rebusquem-no na nossa "Agenda" que ele lá está.
​Agora, em "Porn Story", König não nos encaminha para ​a sua tradicional linha do homossexualismo… Agora, há ​um especial da "moralidade" de gente muito sonsa e ​fingida pelos concebidos e "obrigatórios" géneros ​humanos.
Divirtam-se e aplaudam Ralf König!


O RECOMEÇO E OUTRAS HISTÓRIAS - ​Edição Escorpião Azul. Autor: Agonia Sampaio.
​Que surpresa tão agradável e positiva voltar-se a ​encontrar a arte de Agonia Sampaio e, finalmente ​bem conseguido, através deste álbum com trinta ​histórias curtas  (algumas de só uma prancha) reunidas.
​Em  algumas delas no argumento há a participação ​de Adão Silva, André Gomes, Valter Hugo Mãe e de ​José de Azevedo.
​Vogando por aspectos românticos e ternos, e  outras ​vezes pelo entusiasmante insólito, Agonia Sampaio ​brinda-nos com a sua encantadora e elegante arte, ​através de um belo preto-e-branco. 
​Parabéns, Agonia Sampaio!


CHAMPAGNE CONTRE TOKAY - ​​​Edição Glénat. Da série "La Grande Histoire de la Vigne et du Vin (Vinifera)", este tomo, "La Guerre Champagne Contre Tokay", tem argumento de Éric Corbeyran e traço de Jean-Jacques Dzialowski.
Em pleno século XVIII, com a Europa em constantes conflitos bélicos, o vinho era, muitas vezes, a arma diplomática por excelência. No confronto entre franceses e austro-húngaros, numa breve e pressuposta trégua secreta, alguns oficiais de ambas as partes encontram-se e, no melhor cavalheirismo, os franceses levam-lhes o seu glorioso champanhe e os adversários, brindam-nos com o não menos glorioso vinho húngaro, o "tokay".
E maravilham-se de parte a parte, se bem que ​a guerra e os amores continuem dramaticamente…
No final deste álbum, um bem elucidativo dossiê histórico da autoria de Jérôme Baudouin.
LB

sexta-feira, 15 de março de 2019

OS "WESTERNS" DE FERNANDO BENTO

É verdade, mas muito e muito bedéfilo já se esqueceu, ou nunca teve conhecimento, destas aventuras desenhadas pelo nosso sempre vivo, o genial Fernando Bento (1910-1996), pois não só adaptou à BD clássicos da Literatura e outros temas encantadores como ele próprio se aventurou, embora por curtas vezes, ao popular tema do "western"... dos tais Estados Unidos(?!) da América do Norte.
Fernando Bento (1910-1996)
O nosso Bento lá cedeu, porém e apenas, até certo ponto. ainda bem, pois isto de "cowboys e índios"... haja tino!
Acontece que, ainda bem jovem, Fernando Bento fez as suas primeiras abordagens às "coboiadas", em 1938, para o extinto periódico "A República", segundo apurámos num trabalho do falecido (2018) Dr. António Dias de Deus.
Então, aí vai:
Em "República", consegui descobrir apenas dois exemplos da série cómica "As Inacreditáveis Façanhas do Cow-boy Fred Sully-Panta", com argumentos do Tio Luiz, aliás Luiz  da Silva Ferreira (1898-1959).
"As Inacreditáveis Façanhas do Cow-boy Fred Sully-Panta",
por Luiz da Silva Ferreira (texto) e Fernando Bento (desenhos), in "República" (secção infantil) (08.01.1938)
"As Inacreditáveis Façanhas do Cowboy Fred Sully-Panta",
por Luiz da Silva Ferreira (texto) e Fernando Bento (desenhos), in "República" (secção infantil) (04.03.1938)
Anos mais tarde, com o seu sempre evoluído e invejável traço, na revista "Cavaleiro Andante", Bento arrojou-se a três histórias curtas:
"Perigo no Desfiladeiro" (no n.º 458)...
"Perigo no Desfiladeiro", por Fernando Bento, in "Cavaleiro Andante" #458 (1960)

"O Cavaleiro Escarlate" (no n.º 482)...
"O Cavaleiro Escarlate", por Fernando Bento, in "Cavaleiro Andante" #482 (1960)

...e "Terras Malditas(no n.º 556).
"Terras Malditas", por Fernando Bento, in "Cavaleiro Andante" #556 (1962)

Pronto! Creio que ele se ficou por aqui ante este tema de pistoladas e muita poeira das lendárias pradarias, cheias de vaqueiros suadíssimos, pele-vermelhas infelizes, bisontes estafados… Quase nada todo este ambiente tem a ver com a nossa Europa!
A finalizar: maravilhosamente, Bento, desenhou muitos outros e diversos temas e, uma vez, chegou a desabafar-me que só se lamentava nunca ter desenhado ficção científica! Opinião que não é bem correcta pois o assunto existe em diversos romances de Jules Verne que ele também desenhou.
LB

terça-feira, 12 de março de 2019

NOVIDADES EDITORIAIS (165)

BOB MORANE, INTÉGRALE / 10 - ​Edição Lombard. Autores: Henri Vernes (texto) ​Felicisimo Coria (arte gráfica). E um dossiê por ​Jacques Pessis.
​Mais um Integral das entusiasmantes aventuras de Bob Morane.
​Desta vez, com os seguintes cinco episódios: "Les ​Guerriers de l'Ombre Jaune", "Services Secrets ​Soucoupes", "Le Président Ne Mourra Pas", "Les ​Chasseurs de Dinosaures" e "Une Rose Pour ​l'Ombre Jaune".



LES MÉSAVENTURES DU ROI MIDAS - ​Edição Glénat. Autores: com orientação de Luc ​Ferry, tem argumento de Clotilde Bruneau, traço ​de Stefano Garau, cores de Ruby e capa de Fred ​Vignaux. Obra da maravilhosa série "La Sagesse ​des Mythes".
​Aqui se narra a lenda do ambicioso rei frígio Midas, ​que transformava em oiro tudo em que tocava, sem ​reflectir nas consequências perversas de um tal ​poder… Terá um fim bem amargurado.
​A concluir este tomo, um elucidativo e histórico ​dossiê.



MOURIR SUR SEINE / 1 - ​Edição Petit à Petit. Autores: segundo o romance de ​Michel Bussi, tem argumento de  Gaëtan Gert's e ​arte de Salvo.
​Que estranho e tenebroso pacto parece ligar os ​marinheiros do mundo inteiro? De que tesoiros ​afundados no rio Sena (banhando a cidade de Rouen) ​andam eles à procura? E toda este criminoso enigma ​se precipita quando um marinheiro mexicano é ​encontrado apunhalado, a boiar no rio Sena... Um ​policial avassalador!



QI / 154 - O número 154 deste longevo fanzine brasileiro (vai já em 26 anos de existência!), coordenado pelo incansável Edgard Guimarães, trás, para não variar, material de grande interesse.
Para além das rúbricas habituais que caracterizam o "QI" -  onde se divulgam inúmeras edições independentes (fanzines) e se mantém o contacto com muitos dos seus leitores - uma pequena entrevista com Nando Moura, um artigo de Lio Guerra Bocorny sobre "As Mil e uma Noites", um outro artigo de E. Figueiredo sobre a expressão gaúcha "Uai!" e os cartunes de Edgard Guimarães reforçam este bem preenchido número.
Como cereja no topo do bolo, o encarte sobre Eduardo Teixeira Coelho, com texto do nosso Carlos Gonçalves complementado com informações retiradas de outras fontes pelo próprio editor, Edgard Guimarães.
LB/CR

sexta-feira, 8 de março de 2019

SÉRIES DE TIRAS BD (11) - MULHER DE 30

E porque hoje se comemora o Dia da Mulher... apresentamos "Mulher de 30", título de uma divertida série de tiras humorísticas da autoria da cartunista brasileira Cibele Santos.
A série conta com cinco personagens principais (Vivi, Belinha, Sabrina, Nanda e Gislaine), todas mulheres na casa dos trinta anos mas cada uma delas com maneiras muito diferentes de ver a vida e de encarar os seus problemas. Talvez seja esta diversidade que confere à série a popularidade de que tanto goza junto do público.
O livro "Não tenho roupa... e outras neuras femininas" é uma bela coletânea com algumas das melhores tiras, que pode ser adquirida no excelente site oficial da série (mulher30.com.br) ou nas pricipais redes sociais.
"Mulher de 30" é um caso de sucesso que merece uma visita assídua por parte dos nossos leitores.
CR