sábado, 16 de fevereiro de 2013

HERÓIS INESQUECÍVEIS (12): GASTON LAGAFFE

Se houvesse um pódio glorioso para personagens da BD que nos tiram completamente do sério e nos projectam para as gargalhadas, a medalha de oiro seria, sem dúvida, para Gaston Lagaffe; a de prata, para o Rantanplan (o anti-cão da série "Lucky Luke"); e a de bronze, para o Marsupilami. Este só ganha o terceiro lugar porque não é desmiolado... Todos os outros chegam à meta dentro do tempo, mas sem direito a pódio.
André Franquin
Por uma ideia de Yvan Delport, o grande e saudoso mestre André Franquin (1924-1997) criou este inacreditável personagem, para o qual veio a ter a colaboração de Jidéhem (aliás, Jean De Maesmaker).
É no n.º 985 da revista "Spirou", a 28 de Fevereiro de 1957, que surge o "nosso" Gaston na série "Spirou e Fantásio". Aparece de um modo vagamente modesto, tímido e "secundário". Apresenta-se para trabalhar na redacção da revista "Spirou" (Ed. Dupuis), pois alguém (que ele já não sabe quem nem porquê) lhe disse para o fazer!... Fica encarregue da manutenção, do correio e - imagine-se! - da vigilância dos extintores, donde não faltarão os incêndios que provocará.
Prancha de "Le Genie de Lagaffe"
Como é frequente em muitas séries-BD, o "secundário", neste caso Gaston Lagaffe, cedo ascendeu a um personagem vedeta, a ponto de vir a ganhar a sua própria série. E, à medida que ia aumentando a sua galopante
popularidade, também foram aumentando as suas trapalhadas, as suas broncas, as catástrofes que ia provocando, engrossando também uma diversa galeria de impagáveis personagens que, por sua vez, o irão secundar.
Destes, salientamos alguns, talvez os mais fundamentais.
Para além de Spirou, Fantásio e do Sr. Dupuis, temos: Jeanne, a terrível apaixonada de Gaston; o Sr. Mesmaeker, sempre furibundo, pois nunca consegue assinar um contrato devido às broncas de quem se sabe; o polícia Longtrin, sempre enganado por Gaston, que o deixa todo aparvalhado; Bertrand Lebévue e Jules, amigos e cúmplices do herói; Freddy, o Dedos de Fada, um ladrão que jamais consegue roubar a redacção da "Spirou", pois esbarra sempre com as "armadilhas" que Gaston, inadvertidamente, por lá deixa espalhadas...

Gaston e alguns dos principais personagens da série
Por sua vez, Gaston Lagaffe, é um amante da Natureza, especialmente a zoológica, pelo que é um doentio protector dos animais... Não são nada poucos os que, ingénua e empenhadamente, alberga no seu gabinete (às vezes, só temporariamente): Dingue, o astuto e cúmplice gato; uma gaivota caprichosa e também cúmplice; o ouriço Kissifrot, o ratinho Cheese, peixinho Bubulie, abelhas, um papagaio, uma lagosta ou lavagante (que ele salvou de ir parar a um horroroso escaldanço), um camaleão, um cavalo, etc. Até uma vaca que ele recebeu de presente de um tio provinciano!... Só escapa o elefante Marajá, que ele vai com frequência visitar ao Zoo, para jogarem ao braço-de-ferro. É uma loucura!
A vaca que Gaston albergou no seu gabinete
Lagaffe é bondoso, prestável e altamente dorminhoco. Tem o seu velho carro Ford T e adora inventar coisas incríveis e "assustadoras", donde o "Gaffophone" (já que adora música) e também é amante da culinária, com as suas intragáveis receitas, como o "bacalhau com morangos"!...

Na Bélgica e em França, a Filatelia não se esqueceu dele.
O Cinema de Animação já o abordou e tem ideias no ar. No entanto, em 1981, Paul Boujenah, realizou a longa metragem "Fais Gaffe à la Gaffe!", com Roger Miremont, Marie-Anne Chazel, etc.
Em Portugal, os primeiros (quatro) álbuns deste herói-série, foram publicados pela Editora Arcádia. Depois, foi a vez da Meribérica-Líber. E por fim, editados pela Asa/Leya associada ao jornal "Público".
No entanto, diversos álbuns continuam inéditos entre nós... Aguardemos tal atenção e continuação.

Nas primeiras aventuras, Gaston apresentava o cabelo curto mas já vestia a sua inconfundível camisola verde.
O "Gaffophone", a mais famosa das invenções de Lagaffe

Uma prancha onde Gaston não aparece mas os disparates continuam presentes...

    
  

2 comentários:

  1. Cher amis... Perdão, caros amigos... Essa do gato Dingue e dos contratos é fenomenal! Fico roída de inveja por não a ter descoberto quando fiz um artigo sobre Franquin no meu blog!... ;-D
    Só um pequeno reparo para ajudar, parece-me que o nome daquele personagem será «Bertrand» Lebévue e não «Bretrand» visto que esse nome não existe... Ninguém está ao abrigo de uma pequena gralha corrigível, um beijo para ambos, Catherine

    ResponderEliminar
  2. Olá Catherine:
    O gato Dingue é um personagem intratável (tal como a gaivota de Gaston) e não poderíamos deixar de aqui fazer referência a isso.
    Quanto ao Bertrand (e não "Bretrand"), é claro que se tratou de uma "gaffe". O que prova que o Gaston não é responsável por todas as "gaffes" do Mundo...:)
    Obrigado pelo comentário.
    Beijo também para si.
    Carlos Rico e Luiz Beira

    ResponderEliminar